Ana Cláudia – mãe do Paulo Arthur – CEPEC/RJ

Ana Cláudia – mãe do Paulo Arthur – CEPEC/RJ

Se não fosse pela bolsa concedida pelo projeto, seria impossível que o Paulo Arthur continuasse no colégio. Após descobrir um tumor cerebral,  meu marido está impossibilitado de trabalhar, fazendo com que nossa renda familiar ficasse muito precária, com isso, o projeto tem nos auxiliado e contribuído muito para desenvolvimento da educação do nosso filho.

Gisele Inácio Turler Sanches – mãe do Gabriel Inácio Thurler – Centro Educacional Souza Polleti/ RJ

Gisele Inácio Turler Sanches – mãe do Gabriel Inácio Thurler – Centro Educacional Souza Polleti/ RJ

O Gabriel é um menino de 9 anos portador de paralisia cerebral causada por complicações pós-parto prematuro. Além de poder proporcionar uma qualidade de vida melhor para nossa família, através da bolsa conseguimos iniciar o tratamento Padovan, que consiste em uma terapia neurofuncional para reabilitação do sistema nervoso, ajudando no desenvolvimento da locomoção, fala e movimentações das articulações.

Norma Regina – mãe de aluno – Escola Arca de Noé /SP

Norma Regina – mãe de aluno – Escola Arca de Noé /SP

O projeto Educação Garantida ajudou nas finanças da nossa família. Meu filho é especial e esse valor que iria para a mensalidade poderá ser utilizada para pagamento de uma fonoaudióloga ou talvez natação, algo que ajudará em seu desenvolvimento. Por ser portador de síndrome de down, ele teve algumas dificuldades na escola pública e não foi bem acolhido como na escola particular. Aqui ele foi recebido de braços abertos e sempre acompanhado. Ele ama a escola e, para mim, isso faz toda a diferença.

Sócia proprietária do Centro Educacional Lopes Videira – Fabi Rodrigues – Itaboraí/RJ

Sócia proprietária do Centro Educacional Lopes Videira – Fabi Rodrigues – Itaboraí/RJ

O projeto foi maravilhoso para a instituição devido à crise financeira. Havia muitos pais com pretensão de tirar seus filhos, mas eles retornaram. Temos casos de mães que haviam tirado as crianças do colégio, mas graças ao projeto retornaram. Como gestora, estou conseguindo organizar alguns projetos que eu não conseguia por conta da inadimplência que é alta. Consegui comprar o bebedouro que está para chegar e fazer outra área para as crianças da educação infantil. Os funcionários estão felizes porque eu consigo pagar com antecedência. As vezes era complicado pagar no prazo certo por conta do atraso dos pais. Contratamos uma nova psicopedagoga porque o CELV é referência no atendimento de crianças especiais. Graças ao Educação Garantida, estamos montando uma sala com o recurso do pagamento em dia.